SINDISCOSE
Politica & Nacional

Sindiscose e mais 40 entidades assinam manifesto pela presidência da Comissão de Direitos Humanos da CMA

Na tarde desta quarta-feira, 13, aproximadamente, 40 entidades, movimentos sociais e organizações da sociedade civil lançaram o “Manifesto aos Vereadores e Vereadoras de Aracaju” indicando a vereadora Linda Brasil (PSOL) para presidir a Comissão de Saúde, Direitos Humanos, Assistência Social e Defesa do Consumidor.

O documento apresenta uma reivindicação popular que propõe aos vereadores e às vereadoras eleitas nas eleições de 2020 “um diálogo para que a demanda do povo seja acolhida, respeitada e atendida”, expressa trecho do documento. Além de destacar a trajetória de luta da vereadora ligada à defesa dos Direitos Humanos e à justiça social.
O manifesto ainda aponta que as graves e frequentes violações de direitos deveriam convocar a Câmara de Vereadores a uma representação mais assertiva na Comissão.

“[…] segundo o IBGE aponta, na última pesquisa sobre a síntese dos indicadores sociais, grande parte dos lares brasileiros é chefiada por mulheres negras, dentre as quais 63% estaria vivendo abaixo da linha da pobreza. Somam-se a isso os intensos casos de feminicídio que têm sido abordados pela mídia e o fato de que o Brasil permanece sendo o país que mais mata pessoas LGBTQIA+”.

Para Linda Brasil, depois de ter sido eleita a vereadora mais votada, receber mais esse apoio da população é gratificante e respalda a sua atuação na Câmara.
“Eu quero fazer uma mandata popular e coletiva, porque a minha força vem das ruas, das lutas. Não percorri sozinha o caminho que me trouxe até aqui, nosso projeto é coletivo e parte desse processo já foi iniciado na mandata, a partir de reuniões com os movimentos sociais, entidades e instituições que historicamente constroem a luta em nossa cidade”, conta.

Fonte e Informações: https://www.instagram.com/p/CKAMRefhXzf/

 

Manifesto aos vereadores e vereadoras de Aracaju
Eleita em 2020 com o maior número de votos, a vereadora Linda Brasil tem um histórico de luta ligado à defesa dos Direitos Humanos e à justiça social que precisa ser reconhecido por essa casa. Sua campanha refletiu um sério compromisso com as pautas que defende: o direito das mulheres, das pessoas negras, com deficiência, LGBTQIA+ e tantas outras que necessitam de políticas sociais e/ou reparativas.Por causa da expressividade de votos, mas não só, Linda repercutiu nos veículos nacionais e internacionais de imprensa, dando visibilidade a demandas e bandeiras que defende: o fim do racismo, machismo, capacitismo, homofobia, transfobia e outros sistemas de desigualdade. Convém salientar como essas pautas estão diretamente relacionadas com a saúde, que durante anos a vereadora eleita esteve dando amparo a políticas de prevenção e cuidado.

Ainda, segundo o IBGE aponta, na última pesquisa sobre a síntese dos indicadores sociais, grande parte dos lares brasileiros é chefiada por mulheres negras, dentre as quais 63% estaria vivendo abaixo da linha da pobreza. Soma-se a isso os intensos casos de feminicídio que têm sido abordados pela mídia e o fato de que o Brasil permanece sendo o país que mais mata pessoas LGBTQIA+. Questões que nos levam a refletir sobre as graves e frequentes violações de direitos que deveriam convocar a Câmara de Vereadores a uma representação mais assertiva.

Nesse sentido, nós, instituições, entidades e organizações da sociedade civil abaixo assinado, indicamos a vereadora Linda Brasil para ocupar o cargo de presidenta da Comissão de Saúde, Direitos Humanos, Assistência Social e Defesa do Consumidor durante a sua mandata 2021/2024, com a proposta de construir outras formas de cidadania, visibilidade e representação na luta em defesa dos Direitos Humanos, da saúde e assistência social.

Através deste manifesto, propomos aos nossos representantes um diálogo para que a demanda do povo seja acolhida, respeitada e atendida.

Entidades que assinam este manifesto:

– MNDH – Movimento Nacional de Direitos Humanos – Sergipe
– Instituto Braços – Centro de Defesa de Direitos Humanos de Sergipe
– Pastoral Carcerária de Sergipe
– RENAP – Rede Nacional de Advogadas e Advogados Populares – Articulação Nacional
– ABJD – Associação Brasileira dos Juristas pela Democracia – Sergipe
– Assessoria Jurídica Popular Luiz Gama
– Coletivo Advocacia pela Democracia
– ABRACRIM – Associação Brasileira de Criminalistas Seccional Sergipe
– CDJBC – Centro Dom José Brandão de Castro
– Comissão de direitos LGBTQIA+ da OAB Sergipe
– Instituto Ressurgir
– Mães Pela Diversidade
– Unidas LGBTQIA+
– Amosertrans
– CasAmor
– União Nacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – UNALGBT
– Remonta – Clínica LGBTI+
– Setorial LGBT do PSOL Aracaju
– Rede Nacional de Operadores da Segurança Pública LGBT – RENOSP
– Policiais Antifascismo Aracaju
– Auto-organização de Mulheres Negras de Sergipe Rejane Maria
– Setorial de Mulheres do PSOL Aracaju
– Setorial de Negros e Negras do PSOL Aracaju
– Afronte!
– ADUFS – Associação dos Docentes da Universidade Federal de Sergipe
– DCE/UFS – Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Sergipe
– SINTUFS – Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativo da UFS
– SINDIPREV – Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência no Estado de Sergipe
– SINDISCOSE – Sindicato dos Servidores em Conselhos e Ordens de Fiscalização Profissional e Entidades Coligadas e afins do Estado de Sergipe
– Diretório Municipal do PSOL Aracaju
– PCB – Partido Comunista Brasileiro
– Movimento Não Pago
– Movimento Tudo Para Todos
– MLB/SE – Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas – MLB Sergipe
– MTST/SE – Movimento dos Trabalhadores Sem Teto Sergipe
– CAU/SE – Conselho de Arquitetura e Urbanismo Sergipe
– Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo da UFS – Trapiche
– Instituto Camaleão Urbano
– Fórum de Comunicação de Sergipe
– Fórum Permanente Audiovisual de Sergipe

 
Comentários